Ocupação Dandô | 5 Anos

Sobre o Dandô

“Dandô” – Circuito de Música Dércio Marques - Reune músicos de lugares diferentes do Brasil, e que de forma coletiva e colaborativa promove encontros, trocas e reflexões acerca da música. Projeto premiado pelo "Prêmio Brasil Criativo" e "Prêmio Profissionais da Música", teve seu início em 2013, com shows em  cidades de São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná, Goiás e Minas Gerais, e está acontecendo em mais de 40 cidades brasileiras, e expandindo para países da América Latina e Europa. O nome do projeto faz homenagem a Dércio Marques, um dos artistas que mais fez pela arte nos “Brasis”.

 

O circuito, idealizado pela cantora Kátya Teixeira, é desenvolvido e realizado por uma rede de diversos coletivos, mobilizadores locais, artistas, instituições, produtores culturais e afins. Promove uma verdadeira interação musical por todo o país, por meio do intercâmbio entre artistas de vários rincões, objetivando mostrar as diversas sonoridades regionais e gerar também novos públicos. Seguindo o exemplo deixado por Dércio Marques, o Dandô reúne cantadores e músicos de várias gerações, estilos, e culturas de diferentes lugares do Brasil e dos países parceiros da rede. O circuito promove: encontros, trocas e reflexões sobre a música de forma coletiva e colaborativa; busca uma interação musical entre artistas e público; proporciona às pessoas o acesso à música de qualidade produzida fora da indústria cultural de massa, além de promover espaços de reflexão e formação durante cada apresentação.

Em setembro de 2018 completa 05 Anos de existência de forma completamente colaborativa e em plena expansão.

E temos muito a comemorar!!!  Estreamos um programa de TV transmitido m rede nacional em parceria com a TV Evangelizar - Curitiba | Paraná e um novo CD. A coletânea é a segunda realizada em parceria com a Tratore e reúne 27 artistas do Brasil, Chile, Argentina e Venezuela.

Dércio Marques

Sobre o Dércio Marques

Mestre do ofício de cantar, Dércio Marques (1947-2012) ultrapassou a delimitação de categorias musicais reconhecidas, pois a riqueza de estilos e temáticas somada à criatividade e liberdade de expressão em suas obras. Em seus repertórios Dércio  apresenta de uma maneira original e criativa a integração e algumas novas sínteses das manifestações da cultura popular brasileira, em dialogo com outras culturas, especialmente a luso-espanhola. Portanto, a trajetória deste artista revela um abastado diálogo com processos humanos e não raros críticos de criação e incorporação dos inúmeros espaços e tempos em que ele viveu e cantou na América Latina. A sintonia de Dércio Marques com a música vem desde bem pequeno. Sua infância foi repleta de antagonismos socioculturais e étnicos, pois  a trajetória andarilha da família ultrapassava fronteiras nacionais tornando-o contemplador da interação entre a natureza e o povo que a habita, tal experiência permitiu que ele avultasse em seu repertório a temática dos povos latino-americanos e o afeto deles pela terra, tornando-o um pesquisador das localidades e de suas manifestações populares.

II Encontro Latino Americano do Dandô - Circuito de Música Dércio Marques | 2018

Sobre as "Mil guitarras para Victor Jara"

Concerto em homenagem a Victor Jara e aos trovadores que fazem de sua música uma ferramenta de transformação social, en consonancia com as "Mil Guitarras para Víctor Jara", que acontece no Chile desde 2013. A atividade faz parte do "II Encontro Latino-americano do Dandô - circuito de Música Dercio Marques" dentro da celebração do quinto aniversário do circuito, juntamente com circuitos parceiros na América Latina como "Ruta de Violeta Parra" do Chile, "circuito VamosAndando" da Argentina e "circuito Ciudad Canción"da Venezuela. E, juntamente com UNECHILE, Trovadoras Sin Fronteras, Memorial da América Latina, em São Paulo - Brasil, participando de canto, artistas de diferentes países envolvidos.

 

As "Mil Guitarras para Víctor Jara" edição - São Paulo/Brasil será realizada em 16 de setembro, das 10 às 12 horas, no Memorial da América Latina ao lado do metrô Barra Funda com entrada franca. O convite fica aberto também a todos os músicos que com seus violões, violas, charangos venham tocar e cantar temas de Victor Jara da plateia, somando com os artistas que estarão se apresentando no palco.

 

A homenagem é realizada no 45º aniversário do assassinato do cantor por agentes da ditadura militar no Chile, dois meses após a confirmação esperada pela Corte de Apelações de Santiago de Chile, sentenças de 15 anos e um dia para 9 militares por sua participação no Homicídio de Víctor Jara, em setembro de 1973; e quando ainda se espera a resolução dos Estados Unidos sobre o pedido de extradição do subtenente que tinha a custódia de Victor Jara no estádio que hoje leva seu nome, que liderou a tortura, autor da morte, ja condenado nos Estados Unidos e que se espera também seja feita justiça no Chile.

"Mil Guitarras para Victor Jara" - Memorial da América Latina

 

16/9 das 10 as 12h - "Mil Guitarras para Victor Jara" - Memorial da América Latina - Salão dos Atos

 

BRA - Kátya Teixeira, EntreLatinos, Grupos Chasky, Raíces e Tarancón, Sérgio Turcão, Afonso Menino, Mayombe, Sendero, Vozes Bugras, Paulo Nunes, Cardo Peixoto, Giancarlo Borba, Sol Bueno, Cabocla, João Arruda, Murilo Silvestrim, Victor Batista e Isabella Rovo, Marcelo Taynara, André Salomão | CHL - Cecília Concha Laborde | ARG - Analía Garcetti | VEN - José Delgado.

 

Dança | Cueca Chilena (Expresión Cuequera), Chacarera (Caleuche - Mônica e Guillermo), Samba de lenço e Jongo (Mônica Gouvêa e Coletivo Dandô, "Grupo Samba Lenço Da Última Hora")

Ocupação Dandô | 5 Anos - realização

Mutirão

Coordenação Geral
Kátya Teixeira

Produção executiva
Kátya Teixeira
Ana Maria Stinghen

Apoiadores e colaboradores
Unibes Cultural
Tratore
Katxerê Produções Artísticas
Ana Stinghen Produção e Eventos
Kris Pires - Espaço Arte
Luis Fernando (VDA – Logo comemorativa Dandô)
Manu Saggioro - Espaço Gaia
Instituto Juca de Cultura
Hospedagem Centro de Formação Sagrada Família
Cantinho do Ipiranga
Pizzaria Zio Vito
German Rojas (UneChile)

Circuitos parceiros presente
Ciudad Canción - Venezuela
Ruta de Violeta Parra - Chile
VamosAndando - Argentina

Anfitriões
João Bá e João Arruda
Ceumar
Zé Geraldo
Alzira E

Equipe Dandô Sampa
Alcimara Lasneau
Angela Quinto
Paulo Nunes
Luciana Moura
Maria de Lourdes
Anabel Andrés
André Venegas
Nani Braun
Ana Maria Stinghen
Kátya Teixeira
Mônica Gouvêa
Francisco Prandi
Antônio Horta

Oficineiros
Marcelo Taynara – Congado
Victor Batista – Viola Caipira
Analía Garcetti – Coplas y Cantos Colectivos
Expresión Cuequera – Dança tradicional chilena Cueca
Anabel Andrés – Percussão Corporal
Rodrigo Salvador - Rabeca
José Delgado - Venezuela Sonora

Fotógrafos e cinegrafistas
Daniel Kersys

Marilda Souza

Ione Cadengue

Nalu Fernandes

Luiz Salgado

Jorge Augusto P. Teixeira

Ruth Gobbo

Estanislau Robalo

Fábio Lacerda ( Rádio Loco Pero Mucho )
Ana Coutinho ( Rádio Loco Pero No Mucho)
Amanda Brunelli ( Rádio Loco Pero No Mucho )
Mariana Manetta ( Programa Comunidade Latina )
Willian Oliveira ( Programa Comunidade Latina )
Enlatada Filmes  (Tamirys Mendes, Herbert Henrique, Natalie Castilho)

 

"Mil Guitarras para Victor Jara" - Edição São Paulo - Brasil

​Gérman Rójas e Ana Maria Stinghen (EntreLatinos)

Memorial da América Latina

​UNECHILE

Kátya Teixeira

Cecília Concha laborde

Músicos

BRA - Kátya Teixeira, EntreLatinos, Grupos Chasky, Raíces e Tarancón, Sérgio Turcão, Afonso Menino, Mayombe, Sendero, Vozes Bugras, Paulo Nunes, Cardo Peixoto, Giancarlo Borba, Sol Bueno, Cabocla, João Arruda, Murilo Silvestrim, Victor Batista e Isabella Rovo, Marcelo Taynara, André Salomão | CHL - Cecília Concha Laborde | ARG - Analía Garcetti | VEN - José Delgado.

 

Dança

Cueca Chilena (Expresión Cuequera), Chacarera (Caleuche - Mônica e Guillermo), Samba de lenço e Jongo (Mônica Gouvêa e Coletivo Dandô, "Grupo Samba Lenço Da Última Hora")

 

Samba lenço Da Última Hora
Na percurssão: Dito Oliveira e Jesum Biasin
Na dança e vocais: Mônica Gouvêa, Alcimara Lasneau, Anabel Andrés, Marco Xavier e Orlando de Souza